Projetos em Andamento

Cerne e alburno da madeira de Khaya proveniente de distintas regiões do Brasil

À medida que as árvores se desenvolvem, as partes internas do alburno perdem gradativamente sua atividade vital, na maioria das vezes adquirem coloração mais escura devido a deposição de compostos não estruturais como tanino, gomas e resinas, fenômeno denominado de cernificação. O cerne é cumulativo ao decorrer do crescimento da árvore e, geralmente a madeira de cerne é atrelada a maior durabilidade, característica importante na utilização da madeira de mogno africano.

OBJETIVO: estudar as proporções e as caraterísticas do cerne e alburno da madeira de Khaya sp. em diferentes ambientes de crescimento no Brasil; avaliar a densidade da madeira do cerne e do alburno, assim como sua durabilidade natural, permeabilidade, cor e composição química.

Início: setembro/2018                   Término: setembro/2020                    Parceria: Fazenda Grama

Emissões de efluentes atmosféricos associados à matéria prima e ao processo de produção do carvão vegetal

O estudo das inter-relações entre a matéria prima e o processo de carbonização, em uma nova concepção para melhores entendimentos acerca das emissões de efluentes atmosféricos e da qualidade do produto final ainda é incipiente no Brasil. Tais relações, além de representarem um significativo gargalo técnico, econômico e ambiental, trazem embutidos um importante potencial para adequações das resoluções e deliberações atualmente aplicáveis de forma inadequada aos mecanismos e metodologias que envolvem a produção de carvão vegetal no Brasil, especificamente em relação à coleta e determinação de gases e de materiais particulados, onerando significativamente a cadeia produtiva e normalização de forma equivocadamente inviável. É preciso considerar que as atuais resoluções vigentes no Brasil (COPAM, ABNT, CETESB), atribuem aspectos que não poderiam ser enquadradas ao processo de carbonização, ou sequer mencionam de forma precisa, mecanismos e métodos representativos de amostragem que melhor representem o processo da carbonização. A madeira como matéria prima, em sua essência constitui um material orgânico e de elevada variabilidade, e não seria diferente, a sua forte interferência em um mecanismo termodinâmico de ação do calor e transferência de energia e massa. Tais fatos ainda fundamentam a importância da qualidade do produto (carvão vegetal) em uma atividade tão praticada no país, principalmente, diante de uma propriedade tão fundamental no processo siderúrgico e que, não dispõe de métodos para a sua real qualificação, como o caso da reatividade.

Início: agosto/2018                            Término: julho/2022                             Parceria: ArcelorMittal

Influência da variação edafoclimática e restrição hídrica na qualidade da madeira de eucalipto

O Programa Cooperativo de Tolerância de Eucalyptus Clonais aos Estresses Hídrico e Térmico (TECHS) visa identificar os mecanismos e características que explicam como diversos materiais genéticos se comportam quando submetidos a condições de estresse provocadas pelas diferenças edafoclimáticas do território brasileiro bem como as alterações provocadas em sua madeira. Poucas são as informações a respeito das modificações provocadas nas propriedades da madeira em virtude dos diferentes ambientes de crescimento.

OBJETIVO: avaliar a influência das variáveis climáticas na densidade da madeira; efeito da restrição hídrica na qualidade da madeira de eucalipto em ambientes contratantes; influência da variação climática e características do solo na variabilidade de densidade e relação cerne e alburno em madeira de eucalipto.

Início: março/2016                                   Término: março/2020                                  Parceria: IPEF

Resultados preliminares:

Densidade básica da madeira de eucalipto em gradientes climáticos no Brasil

Formação e variabilidade anual da densidade da madeira do cerne e do alburno de eucalipto em diferentes espaçamentos de plantio

A produção de cerne e alburno é influenciada pela idade da árvore e o conhecimento do processo de cernificação na madeira de eucalipto ainda é escasso e poucas são as pesquisas que avaliam a influência da idade tanto na produção do cerne/alburno quanto nas variabilidades (base-topo e medula-casca) da densidade desde do primeiro ano de formação da árvore até a idade de corte em diferentes espaçamentos de plantio. O conhecimento aprofundado sobre o efeito da idade e do espaçamento de plantio nas propriedades da madeira de eucalipto torna possível determinar a época ideal de corte, com base nas características e a qualidade desejada para o uso no qual será destinada a madeira colhida.

OBJETIVO: avaliar a formação de cerne, quantificar sua percentagem no fuste da árvore e a relação cerne/alburno, bem como analisar a variabilidade espacial dessas características em diferentes espaçamentos de plantio e idades de corte; conhecer a variabilidade espacial da densidade da madeira do cerne e do alburno, e analisar o acréscimo dos valores de densidade com a idade nos diferentes espaçamentos de plantio; quantificar a percentagem de vasos impregnados na madeira de eucalipto, e analisar a relação entre a formação de tilose e o processo de cernificação na madeira de eucalipto; verificar a influência da taxa de crescimento na proporção de cerne e alburno, na quantificação de tilose e na variabilidade da densidade da madeira cultivada em diferentes espaçamentos de plantio.

Início: maio/2017                                   Término: março/2019                                   Parceria: Fibria 

Resistógrafo

Em construção ...

Qualidade da madeira de mogno brasileiro proveniente de plantios homogêneos para a produção de serrados

A Swietenia macrophylla (mogno brasileiro) é uma espécie apreciada no mercado internacional, principalmente pelas propriedades físicas e mecânicas da madeira e possui alto valor no mercado. Mediante a restrição do corte da espécie em florestas nativas, a solução para atender a demanda pela madeira é a sua implantação em povoamentos florestais. Contudo, surge a problemática que a madeira oriunda de plantios florestais pode não apresentar propriedades e qualidades semelhantes à de origem nativa.

OBJETIVO: avaliar a qualidade da madeira de mogno brasileiro proveniente de plantios comerciais para a produção de serrados. Verificar a evolução das rachaduras de topo das toras com o tempo e alguns índices de qualidade de tora; avaliar a variação do ângulo de inclinação da grã no sentido medula-casca e base-topo das árvores; avaliar as rachaduras e empenamentos da madeira serrada; relacionar o ângulo de inclinação da grã com rachaduras de topo das toras e com os defeitos da madeira serrada.

Início: março/2016                   Término: março/2019                   Parceria: Celeiro Floresta Criativa

Resultados preliminares:

Propriedades físico-mecânicas da madeira de mogno brasileiro proveniente de plantios homogêneos

Qualidade da madeira de mogno brasileiro proveniente de plantios homogêneos para a produção de serrados